Noções básicas de conservação

Importância da conservação

Imagine a situação: documentos rasgados, amassados e manchados, livros com as capas soltas, lombadas danificadas e cadernos com costuras rompidas.  Diante de tantos danos, o que devemos fazer primeiro para salvar estes materiais?  A primeira  coisa que vem a nossa mente é a necessidade de consertar o que está danificado, ou seja, restaurar o material degradado. Pensamos a partir da seguinte lógica:  devemos  restituir a integridade física destes materiais para que de novo possam estar acessíveis à pesquisa e ao estudo.

Seguindo este raciocínio, teríamos a seguinte seqüência de trabalho: primeiro restaurar o material, depois conservá-lo e assim estaríamos preservando a informação para o futuro. Será que  procedendo deste modo estamos realmente salvaguardando estes livros e documentos danificados? Aparentemente sim, a curto prazo. No entanto, caso não identifiquemos os fatores que causaram a sua degradação, estaremos apenas nos iludindo,  e, infelizmente, reduplicando o mesmo dano em um futuro próximo. O que fazer, então?

Ligamos para você