Blog Arquivar

Sequestro de dados: o que é e como se proteger?

O rápido avanço da tecnologia trouxe ferramentas antes inimagináveis para os usuários e para as empresas. Contudo, os criminosos também se valem desses recursos e estão cada vez mais atualizados e ousados quando o assunto é fraude na internet. Vamos então tratar sobre o chamado sequestro de dados.

São diversas as modalidades de cibercrime. Entre elas está o sequestro de dados, que vem crescendo largamente no Brasil. De acordo com pesquisa da PWC estamos em terceiro lugar no ranking de países vítimas desse tipo de ação.

O que é o sequestro de dados?

Trata-se da ação de hackers que fraudam a segurança, invadem um sistema e impedem que os usuários tenham acesso aos próprios dados. Em seguida cobram um valor pelo resgate dos dados, ou seja, para devolver o acesso ao sistema.

Num primeiro momento os hackers atacavam consumidores finais. Em seguida passaram a enxergar no ambiente corporativo uma fonte inesgotável de dinheiro.

Como evitar?

As vítimas preferidas para esse tipo de crime são as médias e pequenas empresas, sobretudo as que não investem em segurança da informação e em métodos eficazes de backup.

As formas mais garantidas de se proteger são:

– Educar as equipes para o bom uso da rede, evitando abrir e-mails suspeitos, clicar em qualquer link, fazer downloads de programas e materiais em sites não confiáveis, entre outros;

– Investir em softwares de proteção à rede e

– Backup! É sério, backup de tudo, tudo mesmo. Somente assim você não fica à mercê de criminosos e nem se arrisca a perder seus dados.

Ainda que um hacker sequestre seus dados, se você os tiver em outra fonte, o impacto é infinitamente menor, uma vez que não há o risco de perder informações e documentos. Atualmente, o que há de mais seguro para o armazenamento e proteção de acervo é a nuvem.

Armazenamento em nuvem e a segurança da informação

Quando se em fala em segurança da informação, engloba-se também a manutenção da existência dessas informações e de documentos que as geram, certo? O investimento em tecnologias de armazenamento seguro como por exemplo em nuvem está entre as alternativas mais benéficas. Em um post anterior falamos bastante a respeito disso, veja aqui!

Ao se contratar uma plataforma de guarda em nuvem é fundamental avaliar se ela é um servidor de confiança e se realmente o armazenamento e o acesso são seguros. Como parte do processo de gestão documental, a Arquivar trabalha com o Microsoft Azure, um dos sistemas de melhor atuação do mercado.